AVC: O Que Você Precisa Saber

Acidente vascular cerebral: tudo sobre

Tipos de AVC

O acidente vascular cerebral (AVC) é dividido em dois subtipos: hemorrágico e isquêmico. No primeiro ocorre o rompimento de uma artéria e extravasamento de sangue para dentro do cérebro ou para uma área chamada de espaço meninge. Já no segundo, uma área do cérebro deixa de receber sangue devido à oclusão de uma artéria situada em seu interior.

Sintomas do AVC

Os sintomas tendem a aparecer repentinamente, e os mais comuns são: paralisia somente de um dos lados do corpo, dificuldade para falar e compreender a linguagem, problemas relacionados à visão (pode se manifestar em apenas um dos lados do campo visual), tontura súbita e dificuldade de ficar em pé, cefaleia muito intensa e perda de sensibilidade de apenas um dos lados do corpo.

Fatores de risco

O AVC é uma doença que pode ser prevenida. Os seus fatores de risco mais importantes são a hipertensão arterial (principal fator de risco), diabetes mellitus, tabagismo, placas de aterosclerose na carótida (uma artéria cervical) e fibrilação atrial (arritmia cardíaca). Ademais, é muito importante que o paciente tente se exercitar e não seja sedentário, pois isso pode prevenir tanto a doença cardiovascular quanto a cérebro-vascular.

Por fim, desenvolver um AVC é um dos fatores de risco para o desenvolvimento de um próximo AVC. Assim, após um AVC, é fundamental identificar a causa do acidente. Somente com base no mecanismo e causa correta é possível tratá-la de maneira adequada e evitar que um segundo AVC ocorra.

Atendimento ao paciente com AVC

Para que um hospital atenda adequadamente um paciente com AVC, ele deve ter pelo menos uma tomografia de crânio disponível. Além disso, é de fundamental importância que o hospital tenha um protocolo que possibilite o rápido atendimento de um indivíduo acometido por um acidente vascular cerebral.

A ativação do SAMU ou do sistema de emergência disponível e a busca rápida de um hospital é a conduta mais apropriada frente os sinais e sintomas da doença. Até que o atendimento aconteça, o paciente deve ser mantido numa posição confortável. Caso esteja muito sonolento, é interessante manter o paciente deitado de lado, para assim, evitar a aspiração de possíveis vômitos.

Esses são os cuidados básicos, e a procura por um sistema de saúde o mais rapidamente possível é a atitude mais importante frente os sinais e sintomas da doença.

Saiba mais sobre o AVC, acessando: http://www.abavc.org.br/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Conteúdo protegido!