O Que É Bom para Queda de Cabelo?

O que funciona para queda de cabelo?

Medicamentos de via oral

Atualmente, o tratamento moderno da alopecia androgenética pode ser realizado com drogas de via oral, como com o medicamento produzido a partir de extração da planta serenoa repens.

A Finasterida, já utilizada há bastante tempo, continua sendo excelente opção. Há também a chamada aplicação intralesional em couro cabeludo (CIPE).

o-que-funciona-para-queda-de-cabelo

Monovin A

A vitamina A, muitas vezes empregada para melhorar o aspecto dos cabelos, pode provocar queda deles. Quando diluída no shampoo, a vitamina não causa nenhum efeito, contudo, o consumo via oral pode ser prejudicial para os fios. O Monovin A é usado para fins veterinários.

monovin-a-para-queda-de-cabelo

Shampoo para queda de cabelo

Nenhum shampoo trata a queda capilar, eles apenam limpam o couro cabeludo. Por conta disso, há uma regulamentação obrigando os fabricantes de shampoos antiqueda a esclarecerem na embalagem do produto que essa queda se refere, exclusivamente, à provocada pela quebra dos fios.

Leitura recomendada: sofrendo com queda de cabelo? Descubra HairLoss Blocker.

Lavagem dos cabelos

A lavagem dos cabelos deve ocorrer em dias alternados, exceto se o indivíduo trabalhar em um ambiente muito sujo, por exemplo, numa marcenaria. Contanto que seja utilizado um shampoo adequado para aquele tipo de cabelo, o couro cabeludo não ficará oleoso por ficar um dia sem ser lavado.

Se a pessoa não encontrar um shampoo adequado para ela, e se mesmo não lavando-o todos os dias, ele ficar oleoso ou ressecado, o indicado é procurar um tricologista para que ele prescreva a manipulação de um shampoo ideal.

Implante capilar

Caso o indivíduo tenha uma área doadora de fios aceitável, é possível recorrer ao transplante capilar. Atualmente, o procedimento cirúrgico mais avançado é realizado fio a fio, e os resultados são muito naturais.

Protocolo medicamento para a queda de cabelo

Carboxiterapia e fatores de crescimento

O tratamento capilar baseia-se principalmente em aumentar o fluxo sanguíneo da pele, e para isso pode-se recorrer a infusão de gás carbônico (também chamada de carboxiterapia) e/ou fatores de crescimento, e com isso fortalece-se o bulbo capilar. O cabelo que estava fino, cresce mais rápido e mais grosso.

Se o bulbo capilar morreu, ele não irá renascer, porém, pode haver um pelo muito fino, não visível a olho nu, ele pode melhorar, mas nesta fase o mais indicado é o transplante capilar, nele corta-se apenas os bulbos, que são implantados em outras áreas do couro cabeludo.

Shampoo com ácido mandélico

Quando aumenta-se a camada morta superficial, obstrui-se os poros do cabelo, o que dificulta que a queratina consiga sair e o cabelo continue crescendo. Nesse caso, faz-se o semelhante a um peeling, uma raspagem superficial, então utiliza-se um shampoo com ácido mandélico, em dias alternados, e esse ácido delamina microscopicamente aquela parte superficial e controla a oleosidade do couro cabeludo.

Shampoo SK, shampoo MM e loção finalizadora

A glândula sebácea, que ocasiona a oleosidade, obstrui o pelo, então quando-se controla a oleosidade com ácido mandélico, deixa-se o caminho livre para o pelo nascer. Esse é o tratamento medicamentoso, e normalmente alterna-se entre os shampoos MM e SK. A loção finalizadora é opcional, ela não altera o bulbo, porém o shampoo resseca os fios, e então a loção é para as pontas.

Tônico capilar

Como o metabolismo está sendo aumentado, é interessante que a pele receba um aporte de nutrientes, o tônico capilar serve para nisso, junto com o shampoo sk, enquanto o shampoo mm limpa, e por isso esses shampoos devem ser usados em dias alternados.

Duração do tratamento

Mesmo que o cabelo melhore logo após a primeira aplicação, esse tempo não é suficiente para ver resultados, pois o cabelo precisa de mais tempo para crescer. A duração do tratamento é de no mínimo 3 meses, e uma vez por mês recorre-se a aplicação dos fatores de crescimento, e uma vez por semana à carboxiterapia, esses intervalos podem ser alterados de acordo com a disponibilidade da pessoa em comparecer à clínica, e assim pode-se fazer, por exemplo, de 15 em 15 dias. Para maximixar os resultados, numa semana aplica-se fatores de crescimento, e nas próximas 3 carboxiterapia, e assim sucessivamente.

Com 3 meses é possível ver um bom resultado inicial, porém, isso não é garantido para todas as pessoas, existe sempre a curva de Gauss, ou seja, o tratamento irá funcionar satisfatoriamente para a maior parte das pessoas, para outras irá funcionar muitíssimo bem, e para outras não trará bons resultados. O tratamento funciona mais para mulheres do que para homens, e é recomendado principalmente para quem tem cabelo raso.

Hygialux

No protocolo acrescenta-se o Hygialux no protocolo, porque a luz dele causa um estímulo celular que aumenta o fluxo sanguíneo e o metabolismo.

Quanto tempo duram os resultados

Os resultados do tratamento não duram para sempre, funciona de maneira semelhante à quem frequenta academias de musculação, os exercícios físicos provocam um estímulo muscular, aumentam o metabolismo e a musculatura, porém, se o indivíduo parar de praticá-los, os músculos irão atrofiar.

Tratamento de manutenção

Recomenda-se um tratamento intenso no começo, e depois um mais ameno para manutenção, porém, isso depende da pessoa, voltando ao exemplo anterior da academia, algumas pessoas tem uma genética favorável para o ganho e manutenção de músculos, malham continuamente até ficar forte, e depois só precisam de alguns minutos de corrida na semana para manter a forma física, já outras precisam ficar duas horas por dia malhando na academia para manter a forma.

Depois do tratamento inicial, que dura três meses, deve-se estabelecer um tratamento de manutenção adequado. Recomenda-se que após esses três meses, a pessoa dê um espaçamento de tempo de, por exemplo, 15 ou 30 dias sem fazer qualquer tipo de tratamento no cabelo, em seguida avalie se durante esse intervalo houve queda, e então, os intervalos das sessões no tratamento de manutenção devem ser estabelecidos empiricamente, por exemplo, faz-se uma sessão de carborxiterapia e uma de fator de crescimento por mês, de acordo com a resposta diminui ou aumenta esse intervalo. Se houve uma boa resposta, então pode-se fazer uma sessão de carboxiterapia a cada dois meses, até chegar num ponto que pode-se identificar o melhor para a pessoa, por exemplo, uma sessão de carboxiterapia a cada três meses. Porém, em alguns períodos, esse intervalo para a manutenção pode ser alterado, em decorrência, por exemplo, de estresse, que aumenta a queda dos fios.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Conteúdo protegido!