Síndrome do Pânico: Sintomas e Tratamento

O que é a Síndrome do Pânico?

De alguma forma o medo é profundamente saudável, entretanto, ele pode ser dividido em dois tipos: aquele que é adaptável e o que não é adaptável. Quando você quer atravessar uma rua e olha para os dois lados, você o faz porque tem medo de ser atropelado, ocorre que nós temos uma adaptação quando sentimos medo, e é justamente o medo exagerado que faz com que as pessoas tenham a Síndrome do Pânico, também chamada de Transtorno do Pânico.

O grande problema dessa sensação é que quando se entra em uma situação de medo exagerado, o organismo libera muita química no sangue, e todos os músculos são tensionados, por isso pode se ter uma sensação de que não se está respirando muito bem, entre outras coisas, na verdade isso é apenas tensão, e quando o indivíduo relaxa, essas sensações passam. Uma grande parcela tem medo de ir a óbito, de asfixiar-se etc.

Em geral, as pessoas acometidas pelo Transtorno do Pânico, correm para pedir ajuda em um pronto socorro, e ao chegar ao local, após se verificar que as funções cardíacas estão normais, e no máximo a pressão pode estar um pouco acima do normal, esse estado continua por mais alguns minutos e então o individuo volta ao normal, porém, há sempre uma tendência de repetição, podendo ser no mesmo dia, na mesma semana, ou ainda várias vezes ao mês, e à medida que essa situação vai se repetindo, enquanto a pessoa não tiver a certeza de que está padecendo de uma doença cardíaca ou neurológica, ela irá voltar ao pronto socorro, até que se descubra que deve procurar ajuda com um psiquiatra ou psicólogo.

sindrome-do-panico

Como saber se tenho Síndrome do Pânico?

Nem toda crise de pânico quer dizer que o indivíduo esteja com a Síndrome do Pânico, às vezes, por exemplo, a pessoa pode passar a noite em uma festa e no outro dia apresentar uma crise, e o que ela está tendo na verdade é uma síndrome de abstinência ao consumo demasiado de álcool, de modo que basta que se modere a bebida que isso estará resolvido, porém, o individuo que tem ataques espontâneos, não associados a circunstâncias estressantes, precisa de ajuda.

Sintomas da Síndrome do Pânico

A Síndrome do Pânico ou Transtorno do Pânico normalmente surge com um ataque de pânico que ocorre quando a pessoa menos espera. O individuo não está sob nenhum estresse ou passando por uma situação desfavorável naquele momento, por vezes está em sua casa, e de uma hora para outra é acometido por um estado de intensa ansiedade, que pode se caracterizar por um aperto forte no peito, palpitação, coração disparado, as mãos começam a gelar, e às vezes ocorre também dor de cabeça e/ou tontura, ou ainda a sensação de que se vai desmaiar, ter um ataque cardíaco ou enlouquecer. Obviamente todas essas manifestações não ocorrem sempre do mesmo jeito, mas em todos os casos se verifica um estado de temor de que algo muito ruim vai acontecer.

Entre um ataque e outro, há sempre um estado de expectativa e preocupação, onde a pessoa começa a temer a ocorrência da próxima crise.

Tratamento para Transtorno do Pânico

O tratamento mais adequado para o Transtorno do Pânico é através de medicamentos ou também associado à psicoterapia.

Agorafobia

No caso dos indivíduos que não se tratarem, muitos deles tenderam a desenvolver um estado de temor de sair para lugares onde acham que se tiverem um ataque não receberão ajuda de forma fácil e rápida, que é uma fobia associada ao pânico chamada de agorafobia. Nessa situação, a condição do individuo piora, pois ele passa a ser incapaz de viver independentemente e sozinho, não tendo coragem para estudar, trabalhar etc.

A pessoa sente-se mal em um determinado local, e a partir de então, condiciona aquele local à sentir-se mal, fazendo uma ponte entre o local e o que ela sente, muito embora os locais não tenham nada a ver com isso, na verdade essas pessoas tem medo de sentir medo.

Dessenbilização ou Imunoterapia Dessensibilizante

dessensibilizacao-psicologicaQuanto mais a pessoa foge de situações que lhe estressam e dos sintomas de ansiedade que lhe assustam, pior ela fica, a proposta da Dessenbilização é na verdade que a pessoa fique próxima dos sintomas que lhe dão medo, e acabe por mudar seu comportamento e reconfigurar seu cérebro.

Se você está dentro de casa fechado, e não sai de jeito nenhum, onde ocorre o primeiro passo a dar onde o seu coração começa a bater mais forte? Vamos supor que só de abrir a porta do seu apartamento, o seu coração já fique mais acelerado, ou se você for para próximo do elevador, é ali que o seu coração começa a bater mais forte. Então fique nessa situação esperando seu coração voltar ao normal, ou seja, espere que os sintomas dessa ansiedade diminuam, fique ali mesmo sentindo os sintomas da ansiedade, quando se sentir melhor, caminhe um ou dois passos para além desse estágio, talvez para a porta do elevador ou para fora da escada, quem irá planejar essa Dessenbilização graduada é você.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Conteúdo protegido!